Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE
 
Pesquisa
  Emergência Informações Úteis Mapa do Site Mapa HEPE
 
 
 
 
 
Como Actuar?
 
Paragem Respiratória
Causas mais frequentes da paragem respiratória:
  • Obstrução da laringe por corpo estranho
  • Afogamento
  • Choque eléctrico
  • Traumatismo craneano

O que deve fazer:

  • Certificar-se de que as vias respirtórias se encontram desobstruídas e, se assim não for, desobstruí-las.
  • Deitar a vítima de costas.
  • Ajoelhar ao lado dos ombros da vítima.
  • Colocar-lhe a cabeça o mais para trás possível.
  • Com uma mão puxar a testa da vítima para trás e com a outra mão apoiada na nuca, puxar-lhe o queixo para cima, levantando-lhe levemente o pescoço.
  • Cobrir com a sua boca, a boca e o nariz da vítima e soprar, verificando se o tórax se dilata (se estiver a fazer ventilação artificial a um adulto, cobrir só a boca, tapando-lhe o nariz com os dedos polegar e indicador da mão que está a puxar a testa para trás)
  • Repetir a manobra a um ritmo variável de acordo com a idade da vítima, até que esta começe a respirar por si própria:
    • Nos jovens e adultos - 12 a 15 insuflações/ minuto
    • Nas crianças - 15 a 20 insuflações/ minuto
    • Nos bébés - 20 a 25 insuflações/ minuto
  • Verificar regularmente se o coração bate: se não bater, iniciar de imediato, e em simultêneo com a ventilação artificial, manobras de compressão cardíaca externa. Uma vez a respiração restabelecida manter a vítima confortavelmente aquecida, na Posição Lateral de Segurança (PLS) enquanto aguarda transporte ao Hospital.

É uma situação grave que necessita transporte urgente ao Hospital.

 
 
       Topo  
  Logotipo dos Hospitais SA 2009 Direitos Reservados - Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE Símbolo de Acessibilidade na Web www.acessibilidade.net Ministerio Saúde